FIM DOS PRIVILÉGIOS

O Brasil é conhecido por inúmeros motivos. Por suas riquezas naturais , pelo carnaval, pelo futebol, mas também por motivos que nos trazem vergonha: a corrupção e os privilégios.
Acabar com os privilégios é portanto acabar com a raiz de uma cultura ultrapassada. É cortar a lógica presente de que os poderosos não somos nós que detemos o voto, são eles: os políticos e os que vivem da máquina pública. A construção do país que queremos passa pelo fim dos privilégios, origem e fruto das nossas maiores mazelas como nação.

 

O custo de um Deputado Federal é de R$ 2,14 milhões por ano, ou R$ 179 mil por mês!

Nosso congresso é um dos mais caros do planeta e também um dos mais mal vistos. É preciso um choque de realidade para tirar as velhas raposas do poder. 91% dos deputados investigados na Lava Jato vão disputar a reeleição. Acabar com a imunidade parlamentar, o foro privilegiado e todos esses privilégios é urgente.

Nossa Câmara Federal custa 1 bilhão ao ano. Você acha isso razoável?

Os privilégios não se restringem apenas à classe política. Outro setor beneficiado pelas distorções é o judiciário. O salário médio dos 18 mil magistrados do país é bastante elevado e supera o teto constitucional de R$ 33.763, chegando à média de R$ 46 mil.
No Brasil, a média dos vencimentos de magistrados é 20 vezes maior do que a de cidadãos comuns. O privilégio no judiciário não se restringe aos altos salários, mas abrange pensões, nepotismo cruzado e os tradicionais auxílios de toda atividade vinculada ao setor público.

O auxilio moradia do judiciário custa cerca de R$ 800 milhões anuais aos cofres públicos. Você acha isso razoável?

 

O funcionalismo público também é reflexo de inúmeros privilégios. Em uma pesquisa do Banco Mundial, que analisou 53 países, ficou demonstrado que o Brasil é o país que apresenta a maior diferença salarial entre um funcionário do setor público federal e um trabalhador da iniciativa privada. O funcionário público ganha em média 67% mais. O gasto do país em funcionalismo público também é o maior dentre os países analisados e chega a representar 13% do gasto do PIB. Tal concentração de renda faz com que o governo seja um dos maiores geradores de desigualdade. Para se ter noção, 7 em cada 10 funcionários públicos federais estão entre os 10% mais rico da população.

A situação fica ainda mais difícil de engolir quando tomamos consciência de que quem paga a conta através de impostos e endividamento é a iniciativa privada. É ela que gera riquezas para o país e que ainda sofre com infindáveis burocracias e regulamentações.

O custo de um deputado federal é de aproximadamente R$ 18 mil por dia.

A média salarial do trabalhador brasileiro é de cerca de R$ 2,2 mil

Benefício Média Mensal Por Ano
Salário R$ 33.763,00 R$ 405.156,00
Ajuda de custo R$ 1.406,79 R$ 16.881,48
Cotão R$ 40.256,17 R$ 483.073,99
Auxílio Moradia R$ 1.608,34 R$ 19.300,08
Verda de Gabinete p/ até 25 funcioários R$ 101.971,97 R$ 1.223.663,28
Total de um Deputado R$  179.006,24 R$ 2.148.074,83
Total dos 513 Deputados R$ 91.830.199,03 R$ 1.101.962.388,36

Ressarcimento de despesas da saúde, auxílio moradia, locomoção, salário, passagens aéreas, fretamento de aeronaves, alimentação do parlamentar, cota postal, cota telefônica, combustíveis, lubrificantes, consultorias, divulgação do mandato, aluguel, despesas de escritórios políticos, assinatura de publicações, serviços de TV e internet, serviços de segurança, etc. Tudo isso faz parte do cotão, verba de cerca de R$40mil por mês.

Enquanto isso…

Você acha que todo esse dinheiro impede que nossos parlamentares sejam corruptos? Veja por si mesmo:

Envolvido por Partido
  • Nº DE PARLAMENTARES ENVOLVIDOS

Número de parlamentares envolvidos na Lava Jato por cargo
  • Deputado Federal
  • Senador
  • Governador
  • Deputado Estadual
  • Presidente da República

Faça aqui sua doação, a renovação depende de você!

Qualquer quantia faz uma grande diferença. Eu não uso dinheiro público!